uro_imagem_infeccao_urinaria

Infecção Urinária

Infecção urinária. Você já deve ter ouvido falar inúmeras vezes sobre esse problema. Aquele incômodo e ardor ao urinar são sintomas típicos de infecção do trato urinário. Mas, você sabia que a infecção de urina pode ser mais grave do que você pensa? Infecção urinária é a infecção bacteriana mais comum no ser humano, principalmente entre as mulheres dos 20 aos 40 anos e as grávidas. Já os homens sofrem mais na primeira infância e depois dos 55 anos, sobretudo por distúrbios na próstata.

A Infecção do Trato Urinário (ITU), conhecida como infecção urinária, ocorre quando uma bactéria entra no sistema urinário por meio da uretra e começa a se multiplicar na bexiga. O quadro infeccioso se dá quando o sistema de defesa do corpo não consegue expelir esses organismos e a bactéria passa a crescer dentro do trato urinário. O local da infecção é o fator mais importante para determinar os tipos, causas e sintomas das infecções.

O diagnóstico de infecção urinária é feito através da história clínica, exame físico e laboratorial  (urina tipo I e urocultura) . Ardência para urinar, aumento da frequência urinária, alterações na característica da urina (cor e odor) são sintomas comuns da Infecção Urinária. A presença de febre, calafrios e vômitos sugere infecção urinária complicada.

A infecção urinária pode ser classificada em dois tipos: a infecção de trato baixo e a de trato alto. Na infecção de trato urinário baixo ou cistite, são comuns os sintomas de ardência, sangramento na urina e urgência para urinar.

Nas infecções de trato alto (pielonefrite) surgem sintomas como febre, mal estar, dor lombar, calafrios e falta de apetite. Pode acometer homens, mulheres e crianças. A prostatite aguda (infecção da próstata) ocorre em homens e pode estar relacionada a infecção do trato urinário.

Mulheres

Para prevenir infecções urinárias é importante seguir algumas recomendações médicas. Beber muita água, cuidar da higiene pessoal, optar por absorventes externos e trocar de absorvente cada vez que for ao banheiro, não utilizar produtos que contenham perfumes na área genital, evitar usar calças apertadas e dar preferência à calcinhas e meia calças de algodão são algumas delas.

Grávidas

As grávidas precisam redobrar a atenção com a doença. Durante a gestação ocorrem algumas alterações fisiológicas, entre elas a dilatação dos órgãos que compõem o sistema urinário, diminuição do espaço para a bexiga e algumas modificações imunológicas. Por isso, as grávidas ficam mais suscetíveis a complicações e sequelas graves decorrentes das infecções do trato urinário. Assim, caso a infecção urinária não seja descoberta precocemente ou tratada do modo correto, ela pode atingir os rins e evoluir para um quadro de infecção generalizada. E isso pode aumentar as chances de um aborto espontâneo.

Sistema urinário

É composto pelos rins, ureter (canal que leva a urina dos rins até a bexiga), bexiga e uretra (canal que conduz a urina da bexiga para fora do corpo).

A bexiga precisa ter um mínimo de líquido armazenado para que a pessoa consiga fazer xixi. Se for muito pouco, ela não funciona e fica esperando encher. Na hora do aperto, a bexiga envia um sinal para o sistema límbico, no cérebro, que manda o corpo resolver o problema com urgência.

O ideal é não deixar a bexiga chegar ao volume máximo, porque ela pode pressionar os músculos em volta e provocar uma sensação de incômodo e desconforto. Com a idade, o assoalho pélvico perde a sustentação e a força, facilitando a ação das bactérias. Por isso, beba sempre muita água e faça xixi como frequência.

Sobre a Pielonefrite

A pielonefrite é uma infecção bacteriana de um ou ambos os rins. Se não tratada a tempo e corretamente, pode evoluir para sepse e falência múltipla de órgãos.

É importante avaliação através de exames de imagem para o diagnóstico de complicações (abscesso renal) e fatores desencadeantes como alterações morfológicas ou cálculos obstrutivos.

O diagnóstico precoce e o tratamento adequado são fundamentais para boa evolução do paciente.

Diabéticos, pacientes com insuficiência renal, cirróticos, portadores do vírus HIV ou pacientes em uso de medicamentos imunossupressores – medicamentos ativos para sistema de defesa -, apresentam maior risco de cistite que evolua para pielonefrite.